Assembleia SINDPD-SP

Gerada pelo bing image creator com o prompt assembleia sindical virtual estilo dali

Aqui eu “larguei os bets” com o pessoal do PCB-RR. Tentei de todas as formas manter contato, contribuir, mas fui ignorado (ao menos participei bastante da tribuna, e essa aqui obviamente não foi publicada). Os poucos contatos sempre forma do tipo “depois a gente conversa”, e para um trabalhador com um profundo desejo de fazer algo, isso é péssimo. Como a gota dágua que me fez desistir dessa empreitada, o total desinteresse por essa tema.

Falemos agora sobre os profissionais de TIC (tecnologia da informação e comunicação), comumente identificados como “pessoal de TI”. Assisti à gravação de um evento do PCB-RR em Curitiba (https://www.youtube.com/watch?v=ifuXq5t4bec). E uma fala sobre nós, pessoal de TI, muito pertinente, me chamou a atenção: doenças relacionadas a stress e trabalho excessivo são uma marca desta ampla categoria, que abrange desde call centers, datacenters, empresas de cabeamento, até programadores (ou “software engineers”, como tanto alguns gostam).

Com uma categoria que vem se apresentando na luta por mínimas condições de trabalho e salários, greves e movimentos vêm ocorrendo. E com vitórias. Especialmente o SINDPD de São Paulo está nessa pegada. Sobre o sindicato, na página “quem somos”, lê-se o seguinte:

“À frente do Sindpd, o presidente Antonio Neto participa ativamente das decisões políticas do País e do setor, sempre priorizando a defesa e a ampliação dos direitos da categoria. Neto também preside a CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros) e a Feittinf (Federação Interestadual dos Trabalhadores em Tecnologia da Informação) – entidades que lutam ativamente pela regulamentação da profissão de TI, defendem a indústria nacional, combatem o enfraquecimento da Previdência Social e a flexibilização da CLT.” https://sindpd.org.br/sindpd/site/interna.jsp?m=1&s=1

A informação que tenho, é que era uma importante base de apoio de Ciro Gomes, inclusive candidatando-se a deputado federal (http://www.sindpd.org.br/sindpd/site/noticia.jsp?id=1657047369327). Não tenho informações atualizadas, depois das movimentações mais recentes de Ciro Gomes.

Em processos de, chamo eu, “elisão sindical”, muitas empresas vêm adaptando seu CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) para não estarem ligadas aos sindicatos mais combativos.

Por exemplo, em São Paulo temos o escandaloso caso da IBM de Hortolândia, que se apresenta como uma empresa varejista, e portanto, ligada ao Sindicato dos Comerciários, cujas condições são bem mais suaves para a empresa. Ainda na IBM, também tivemos o caso em que a empresa proibiu trabalhadores de Minas Gerais de se candidatar a vagas de trabalho remoto, para não ter nenhum perigo de terem que acatar decisão judicial que obriga os trabalhadores de TI a terem as vantagens da categoria.

Outras empresas seguem os exemplos.

Mas o importante aqui é que nessa semana será realizada assembleia para definir o que será reivindicado para a convenção da categoria no estado de São Paulo em 2024. Dia 16/11/2023, em assembleia virtual, será discutida e aprovada a Campanha Salarial, que obviamente, vai muito além do salário: https://sindpd.org.br/sindpd/site/categoria.jsp?id=44

Então fica o convite para toda a categoria que trabalha em empresas de São Paulo, mesmo que morem em outros estados, para, caso não sejam, sindicalizarem-se. E em segundo lugar, participar dos debates e votação. A participação não exige que se seja filiado.

Crítica

Muito em cima da data marcada, na condição de simpatizande, comecei a procurar o PCB-RR para saber se havia alguma discussão em torno dessa assembleia. Obtive a resposta que não temos nada organizado, dadas as grandes tarefas de reorganização. Tenho total clareza que o acúmulo de tarefas e a situação embrionária em que a RR se encontra, tornam tudo mais difícil.

Mas se temos trabalhadores ligados a esse sindicato (nesse caso específico, não é necessário estar filiado, apenas estar empregado numa empresa que seja base do sindicato), falhamos nesse ponto como vanguarda.

Não querendo aqui apresentar uma “supremacia sudestina”, mas devemos ter claro que uma categoria enorme, com ramificação em todo o país (por conta do trabalho remoto) está em movimento, dando passos cada vez mais firmes na luta econômica, e com grandes possibilidades de lutas mais avançadas (por exemplo, 30 horas semanais), e com grande controle sobre a atividade econômica do país, com amplas possibilidades de paralisar o funcionamento de muitas empresas, no caso de combates mais elevados.

Lembre-se que a luta ideológica nessa categoria é acirrada, com grande penetração de ideias liberais, mas que são facilmente desmontadas com um trabalho dirigido em relação ao socialismo.

Atuaremos individualmente, os que atuarmos, sem qualquer discussão ou organização. Ano que vem, 2024, acaba a legislatura atual, o que significa que até para os embates nesta eleição que se aproxima, estamos atrasados.

As tarefas são muitas e gigantes. Mas a vida não esperará que nos organizemos na forma ideal.

Paulo Henrique Rodrigues Pinheiro – https://bolha.us/@paulohrpinheiro